Futebol de alta performance

Projeto apoiado pela Funarbe contribui para a formação de jogadores mais criativos e inteligentes dentro de campo. Durante entrevista, o professor da UFV, Israel Teoldo, estudioso da Ciência do Esporte e referência nacional e internacional na área, comenta sobre Futebol e a formação de jogadores melhores preparados para ir a campo.

Estratégia, futebol e economia podem ser vistas como áreas completamente independentes umas das outras, porém, essas três vertentes dialogam em conjunto, mantendo correlação entre si. A estratégica, quando aliada à atividade esportiva, é capaz de potencializar resultados e, em se tratando de futebol, proporcionar espetáculos dentro de campo. Não diferente, economia e esporte andam lado a lado.

Enquanto o Brasil registrou recessão econômica em 2016, com queda de 3,6% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o futebol cresceu e muito. Em 2017 só o futebol brasileiro arrecadou cerca de R$ 5 bilhões*. Isso sem contar os clubes internacionais, que atingem faturamento compatível a outros setores da economia.

Mas, negócios à parte, quando o assunto é futebol a nível profissional a ciência deve entrar em campo. O elo entre ciência e esporte permite que parte dos investimentos adquiridos sejam convertidos em estudos e aperfeiçoamento de técnicas capazes de influenciar na tomada de decisão de cada atleta. Dessa forma, os estudos futebolísticos permitem aos profissionais terem maior confiança e contribuem para amenizar toda a pressão existente nos jogos.

Para o professor Israel Teoldo, há várias implicações que podem interferir no desempenho do jogador: “os atletas ficam expostos a uma sobrecarga cognitiva para a tomada de decisão, tais como pressão, estresse e aspectos financeiros relacionados. Essas variáveis não envolvem apenas o atleta em si, mas se estendem a toda a equipe responsável por seu preparo e performance”.

Desse modo, são aplicadas técnicas (por exemplo, a de controle de estresse) para auxiliar na performance individual do jogador e, consequentemente, na qualidade de vida de quem joga.  Israel comenta que “há uma percepção positiva do atleta e dos próprios departamentos dos times, de forma que ambos estão envolvidos na criação das melhores condições para potencializar o rendimento nos gramados. A ideia é se valer do máximo de recursos disponíveis para que os jogadores apresentem o melhor retorno e o espetáculo em cada jogo sempre aconteça”.

Estudiosos da área vem desenvolvendo trabalhos que mostram a relevância do pensar científico quando combinado ao dia a dia do atleta. Aliar a ciência com a prática do futebol permite obter informações mais precisas e decisivas para poder avançar com qualidade. Além disso, a aproximação entre universidade e prática faz dos estudos futebolísticos peças essenciais para que as decisões em campo sejam tomadas com criatividade e inteligência e as partidas sejam mais atrativas aos olhos dos torcedores.

Sobre o professor

Israel conta que sua história com o Futebol é antiga: “já tinha interesse pelo futebol desde que eu era pequeno, e esse interesse foi só aumentando graças aos incentivos que recebi”. Hoje, além de grande estudioso, ele desenvolve projetos em diversas áreas relacionadas ao futebol e coordena o NUPEF – Núcleo de Pesquisas e Estudos em Futebol, da UFV.

Possui pós-doutorado em Ciência do Esporte pela Brunel University London e é professor do Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Viçosa (UFV), tanto em nível de graduação como de pós-graduação, onde desenvolve trabalhos científicos nas áreas de Tomada de Decisão, Tática, Cognição, Formação de Talentos, Análise de Jogo, Psicologia do Esporte e Treinamento Esportivo, sendo em sua maioria aplicadas ao contexto do Futebol.

Por que a Funarbe?

Dentre os projetos que a Funarbe apoia, destacam-se três pertencentes à área de Futebol: Soccer Experience, Soccer Academy e o curso de Especialização em Futebol. Todos são iniciativas do Departamento de Educação Física da UFV e objetivam estimular o estudo do esporte, seja para a formação de profissionais ou como forma de atender a comunidade local.

“O apoio da Funarbe é fundamental. A fundação atua como parceira das ações desenvolvidas, fornecendo as orientações necessárias para que o projeto ocorra sem preocupações quanto às questões administrativas. Assim, consigo focar na pesquisa, com o suporte que preciso para realizar as ações com qualidade. A Especialização em Futebol, por exemplo, é o projeto mais antigo relacionado a futebol desenvolvido na UFV, já se formaram quase quinhentos alunos e apresenta alto impacto à Universidade, por reunir profissionais nacionais e internacionais”, comenta Israel.

FONTE: * Balanços financeiros dos Clubes/ Rodrigo Capelo

Disponível em: http://epoca.globo.com/esporte/epoca-esporte-clube/noticia/2017/05/r-5-bilhoes-em-faturamento-por-que-o-futebol-brasileiro-arrecadou-tanto-em-2016.html